sexta-feira, maio 26

Para saberem que estamos vivos



Olá!
Escrevo este "post" no nosso novo ibook. Isto significa (acima de tudo) que temos muita pinta, mas que continuamos sem móveis.
Entre a novidade da casa nova e a chatice do quotidiano, os últimos três meses passaram a correr. Como grandes pontos-chave destas nove ou dez semanas ocorrem-me o reencontro com o João Lourenço (regressado são e salvo do Chile); alguns dias que tivemos para nós e que aproveitámos para visitar Alcobaça; o casamento da Laura, com toda a estranheza que um casamento tem; a compra da 515 - uma boneca da Rosa Pomar; reuniões de condomínio; algumas salsichas que o Paulo "colou" em frigideiras anti-aderentes e a sua descoberta de talento para a jardinagem; as 6as-feiras a comer pizza em casa do Pepe, da Filipa e do António; a pior saida à noite de toda a minha vida (que incluiu dançarinas do ventre e um tal de DJ Tomané) - obrigada ao Martins e à Maria João; um jantar num restaurante afrodisíaco que acabou em dor de barriga (para mim) e em soneca (para o Paulo) e os 25 euros que deixei no veterinário para ele me dizer que a Kika sofria de stress por causa da mudança (no entanto foi o Paulo que saiu do consultório a espumar da boca...).

Também temos aproveitado o bom tempo que tem feito ao fim-de-semana para ficar em casa a dormir todo o dia. Ocasionalmente saimos por volta da hora do jantar, sem comer, para gozar o dia e aproveitar o inexistente sol da noite.

A grande novidade (que também tem muita pinta) é que agora somos pessoas saudáveis que fazem caminhadas. Eu ouvi dizer que, mesmo quando somos ultrapassados por casais de velhotes de bengala, conta como exercício físico. Se quiserem saber mais vão visitando o blog.

Deixo-vos três ou quatro imagens para ilustrar as novidades.









Até breve!