terça-feira, janeiro 2

A gaveta do amor

Em 1995 eu tinha 15 anos. Este filme ficou-me gravado na memória como a imagem do amor romântico. Uma situação irrepetível que eu sonhava imitar.
Quando em 2004 a história de Jesse e Celine voltou aos grandes écrans, ficou comprovado que este é um dos romances mais reais alguma vez captados por uma câmara.
As personagens estavam crescidas - absorvidas por um quotidiano ao qual era impossível fugir - escondiam sentimentos, evitavam as verdades, reconfortavam-se nas futilidades e tinham guardado o amor numa gaveta.


2 comentários:

Salamandra Pintarolas disse...

Apesar de não os ter visto (mas inda vou a tempo), não posso concordar mais com este teu post "gaveta do amor".
e se por um lado sou uma felizarda, porque pelo menos há uma pessoa neste mundo da qual não escondo sentimentos, por outro, não deixo de enfiar a carapuça...

Sara disse...

Ainda vais muito a tempo de os ver. Tenho ambos em DVD, por isso se estiveres curiosa avisa.