quarta-feira, janeiro 30

Mapas {=} Maps

Porque perdemos muito tempo à procura de um caminho (melhor) que julgamos existir. Porque queremos atalhos para tudo. Porque não há GPS para a vida. Porque nos esquecemos que o importante é a viagem e não o destino. Porque ninguém vive feliz para sempre. Porque queremos sempre mais. Porque há dias que parecem sem fim. Mapas.



Because we lose too much time searching for a (better) road that we think that exists. Because we want shortcuts for everything. Because we don't have GPS for life. Because we forget that the important is the trip and not the destination. Because nobody lives happy forever after. Because we always want more. Because of the endless days. Maps.

terça-feira, janeiro 29

Phones XL


Descobertos aqui via SwissMiss, estes phones gigantes provam que às vezes o tamanho importa. :)
Parecem-me muito práticos e os ideiais para ligar ao ipod quando queremos partilhar a nossa música.

} ---------- translation ---------- {


Found here via SwissMiss, this giant phones are the proof that sometimes size matters. :)
They seem really practical and the ideal ones to link to the ipod wen we want to share our tunes.

segunda-feira, janeiro 28

Um dia de quando em vez

Tia Sara, o que é morrer?

A pergunta foi-me feita no Sábado, num ambiente improvável e num tom sério, que se escapou entre corridas, saltos e gargalhadas verdadeiras.
O irmão parecia menos preocupado com o assunto, apesar de ter a mesma idade.

Não sou mãe, e o H. e o M. são as únicas crianças da minha família. Sobrinhos por afinidade, partilhamos o Paulo, irmão do Pai Rui (como se tivessem outro...). Vejo-os crescer uma vez por mês e não esperava a pergunta. Conto sempre com as múltiplas idas à casa-de-banho, as brincadeiras com a água, a falta de vontade de fazer a sesta, as birras e a tagarelice sem sentido - tudo a dobrar, é assim com gémeos - mas não contava com esta pergunta. Nem tinha resposta. Tentei fugir aos clichés, pensei no que a minha mãe diria e fiquei encalhada.

Acabei por satisfazer a curiosidade ao H., sem mentir nem entrar em muitos pormenores. Informação que depois passei à mãe, para que ela soubesse como enquadrar as perguntas que ainda virão.

----------

Nem eu sei o que é morrer, mas ouvi uma vez num filme que se ninguém souber que morremos é como se vivêssemos para sempre.

----------

à Cátia

quinta-feira, janeiro 24

Colher Frutos

{Foto: Um dia de quando em vez}

Foi com muito prazer que li aqui, que o cultivo da amizade dá frutos (neste caso folhas). O Ficus cresce e está cada vez mais forte, embalado pela poesia que a Cátia lhe lê todos os dias. De tal modo que na Primavera vai ter que mudar de concha.

Para celebrar (e esquecer as partes mais aborrecidas do dia) houve uma ida não planeada ao cinema. A película escolhida foi Expiação {Atonement, no original}, vencedor do Globo de Ouro para melhor filme. Recomendo. E se o filme é bom, o livro deve ser inesquecível.



----------


No passado Sábado voltei a casa para celebrar o aniversário da minha amiga mais antiga (18 anos!). Ao contrário do esperado, a conversa fluiu naturalmente e redescobri pontos de vista e sentimentos comuns já esquecidos. Senti-me velha e não me importei. Repetimos para o ano?

terça-feira, janeiro 22

A Punk

A primeira música que ouvi | vi hoje.
Animou uma manhã que se veio a revelar uma treta. A banda promete.



{Vampire Weekend _ A Punk}

The first song that I've heard | saw today.
It cheered up a morning that sucked. The band sounds promising.

segunda-feira, janeiro 21

ipod assassino {=} killer ipod



Campanha australiana que chama a atenção para o número, quase epidémico, de mortes entre os adolescentes que atravessam a estrada enquanto utilizam o ipod.

} ---------- translation --------- {


Australian print campaign to raise awareness of the fact that the number of teenagers dying as a result of listening to ipods whilst they cross the road is beginning to reach epidemic proportions.


Visto aqui. {=} From here.

quinta-feira, janeiro 17

Pimbolim Velvetiano

A 14 dias do fecho das urnas e com o Big Purple Monster fora, os dias na Velvet decorrem sem transtornos de maior. Os matraquilhos continuam em alta e são um digestivo indispensável ao bom funcionamento dos Velvetianos.

----------

Boas férias Rui!

28

À noite, a caminho de casa, às vezes estou em Lisboa. Na Lisboa barulhenta, do Tejo leitoso e opaco, das ruas escuras, dos carros a alta velocidade que não param nas passadeiras. Na Lisboa das pessoas que são só vultos desfocados, encolhidos pela magia do frio e dos assaltos por esticão. E enquanto espero pelo 28, fico ansiosa pela manhã seguinte para acordar na outra Lisboa.

Em Leiria não há 28.

quarta-feira, janeiro 16

The Darjeeling Limited

{Site Oficial}


"Um filme de Wes Anderson

com Jason Schwartzman, Owen Wilson e Adrien Brody

Apesar de ser passado num local que já inspirou tantos artistas e cujas paisagens já foram pano de fundo de tantos e tão bons filmes, The Darjeeling Limited é um dos filmes mais originais realizados recentemente. As cores vibrantes da Índia e o caos que lhe é tão característico fundem-se perfeitamente no habitual estilo meticuloso de Anderson que teve desta vez de lidar com o imprevisto por ser completamente impossível fugir dele. Todo o filme foi filmado na Índia dentro de um verdadeiro comboio em movimento que a equipa alugou e cujos interiores transformou de acordo com as suas necessidades. O resultado é um filme extraordinário que mantém o tipo de humor característico dos filme de Anderson mas que também embarca numa viagem emocional à medida que os três irmãos ultrapassam a morte ainda recente do seu pai, se reencontram com a sua mãe ausente e começam novamente a relacionar-se como irmãos.

À brilhante viagem espiritual de Anderson, junta-se Hotel Chevalier, uma curta-metragem, previamente divulgada na net, que funciona como uma espécie de prólogo do filme e é apresentada no cinema como a primeira parte do mesmo. Em Paris, a personagem de Jason Schwartzman e a sua ex-namorada, interpretada por Natalie Portman, reencontam-se num quarto de hotel que ficará certamente famoso pelos seus robes amarelos. Começa, e ao mesmo tempo termina, assim esta enorme e emocionante viagem."

in Newsletter Castello Lopes




{Estreia a 24 de Janeiro}

sexta-feira, janeiro 11

Chá de máquina em copo de plástico?

Não obrigada.
Pensas que vais ficar quentinha e com um gostinho fresco na boca, mas não. Não há pior maneira de começar o dia. Parece que andei a lamber passeios. Argh!

quinta-feira, janeiro 10

Ricoxete

Mais uma prova de que em Portugal também se têm boas ideias. Ideias a sério, para além das tretas dos recordes do Guinness.

"Almofadas de caroço de cereja

São agradáveis para manusear, com um cheiro doce, aquecem 1 minuto no microondas e substituem o tradicional saco de água quente; são usadas até para recém-nascidos e recomendadas em tratamentos de termoterapia. As tradicionais almofadas de caroço de cereja foram reinventadas por José Miguel Amorim que foi designer gráfico do jornal Público. Numa altura em que estava desempregado abraçou este projecto que vai de vento em popa. Registou uma patente e abasteceu-se de dez toneladas de caroço de cereja. Arriscou tudo e produziu dez mil almofadas de uma só vez: escolheu o tecido, 100% algodão, natural; adjudicou o trabalho aos reclusos de Sintra, onde o caroço é limpo, e às reclusas de Tires, que fazem as almofadas. Surge um produto inovador, biológico, biodegradável, hipoalergénico, totalmente feito em Portugal, e vendido numa requintada embalagem. As encomendas não param, via Internet, e os CTT já se mostraram interessados em vender as almofadas nos 1080 balcões espalhados pelo país (excelentes pontos de venda para quem não tem acesso à Internet)."

(texto retirado da newsletter do CPD)


Mais informação aqui
(Vale a pena visitar o site com o som de fundo ligado, uma delícia.)

quarta-feira, janeiro 9

D. Sara e seus três maridos II

{Paulo, Sara, David, Filipe}

Depois deste post, eis que regressam as crónicas da vida de D. Sara e seus três maridos.
Soube-se de fonte segura que o quarteto pecaminoso se juntou no passado Sábado para partilhar uma refeição (gambas no wok, por sinal) na casa do segundo e terceiro marido.

A foto não engana ninguém: O primeiro marido bebe para esquecer, a esposa trígama (bígama não, são três maridos) está louca com tanto homem, o terceiro marido está com a vista cansada de tanto ler o código penal e o segundo marido está deprimido por não conseguir despachar os outros dois.

O amor é ou não é a coisa mai'linda do mundo?

sexta-feira, janeiro 4

Big Ideas

{Nude _ Radiohead}

Don't get any big ideas
They are not going to happen
You paint yourself white
And fill all the noise
But there will be something missing

Now that you've found it, it's gone
And now that you feel it, you don't
You've gone off the rails

So don't get any big ideas,
They're not going to happen

You will go to hell for what your dirty mind is thinking.

quarta-feira, janeiro 2

Está quase tudo bem

{Pouco a pouco as coisas vão regressando à normalidade.
Eu estou de volta à Velvet e às fotos do quotidiano, com a Keffa lá ao fundo e o braço do Filipe em segundo plano.}