terça-feira, junho 17

dos {des}conhecidos

Havia um rapaz quase homem, praticamente homem, que tinha um sorriso espantoso que só mostrava quando falava ao telefone. "Um desperdício - pensei." Até escrevi para não o esquecer, para aquele sorriso servir para algo mais do que passar em branco na memória.

Sem comentários: