terça-feira, agosto 5

Ocupada

Por cá os dias têm amanhecido tristes. O Verão às vezes faz isso.
O infantário está vazio de crianças a espreitar pelas janelas e há pouca gente no percurso pedonal. Custa-me a chegar ao meu destino. Obrigo-me a ver tudo de novo, com uma sinceridade renovada. Descubro o dançar da vegetação e a melancolia de uma árvore rachada ao meio, caída dentro do rio verde e sujo. Na terra há centenas de pegadas; nalgumas consigo reconhecer logótipos: Nike, Adidas... aquela é a impressão de uma sola de uns All Star. Tanta gente que segue o mesmo rumo: um pequeno rio invisível de pessoas cor-de-burro-quando-foge, tal não é a sua indefinição.

----------

O trabalho ocupa-me muito o tempo e a cabeça. Corre nos corredores da mente de um lado para o outro, espreita em todo o lado como um micro-vírus. Chega a deixar-me doente. Sem espaço.

2 comentários:

Salamandra Pintarolas disse...

Pelo menos é um vírus do qual gostas... Ma s quem o apanhou - ai, quem o apanhou - difícil é livrar-se dele!
Bons dias de trabalho Sarita, que as férias não tardam a estar aí de novo!
*****

wednesday disse...

Essa rotina desesperante está a pedir algo completamente inesperado e bom... Assim o desejo!