sexta-feira, setembro 5

Entardeceu a chover e eu de sandálias

Não gosto de esplanadas no Verão. São as mesas vazias com folhas amarelas e castanhas aos pés que me convidam a almoçar com vista para o mosteiro. Com sol há muita gente e não me oiço a pensar, não oiço as palavras da música e dos livros a ecoar na cabeça. A sopa e depois o café (sempre com um pau de canela) confortam-me ao cairem quentes no estômago. Não obstante, no Verão sento-me na esplanada porque tenho companhia e conversa; mas hoje descobri que gosto mais de almoçar na rua sozinha. Gosto do meu papel de fingidora - nestas situações gosto de pensar que sou melhor que os outros - sofro de narcisismo Outonal e de nostalgia crónica. O vento levou o cartaz dos gelados, é a sua maneira de anunciar o fim da silly season. Entardeceu a chover e eu de sandálias.

----------

"Eu hei-de morrer de nada, só por acabar de viver."

Bartolomeu Sozinho
em
Venenos de Deus, Remédios do Diabo de Mia Couto

1 comentário:

Salamandra Pintarolas disse...

É algo bom de "redescobrir". Até porque os livros sempre foram tidos como boa companhia e grandes companheiros...
Até já :)