quarta-feira, setembro 24

iMac

A incompetência da máquina deu origem a uma raiva indescritível. Passei as tardes a ler no intervalo dos seus pensamentos, profundos e demorados como se fosse ela a criar o trabalho, como se ponderasse nalguma teoria ou filosofia, como se fosse pensante e autónoma por si só. Esqueço tudo o que faz por mim todos os dias. Recuso-me a aceitar a sua imperfeição. Tudo falha, nem as máquinas são verdadeiramente automáticas. A incompetência da máquina é pior do que a incompetência da pessoa. Às pessoas acontecem coisas, às máquinas não. A incompetência da máquina estraga-me o dia, rouba-me horas e isso deu origem a uma raiva indescritível. Porque pagar pela incompetência das pessoas é aceitável, mas admitir a das máquinas não.

5 comentários:

Salamandra Pintarolas disse...

Xanax ou Vallium, chá de camomila ou tília. Tem dias que nenhum deles resultaria. Mas já passou... ou vai passando.

Sara disse...

MALDITO iMAC!

Anónimo disse...

Tanto, para nada!!!
Afinal se fosses informática, compreendia-se algo do desespero, em relação ao resto...respira fundo, manda uns bicos no processador....passa à frente!

dee disse...

Olá! É a primeira vez que comento, já leio à algum tempo, (vi o link no blog da Miriam) e este post...ai como eu percebo :/ também não costumo aceitar muito bem quando acontece alguma coisa do género. É frustrante, isto é uma máquina, devia de nos facilitar a vida e não complicar mais ainda!

Sara disse...

Bem-vinda Dee! Obrigada pelo comentário.