quarta-feira, outubro 15

Até quando, Portugal?

Dentro do espírito "pensar globalmente, agir localmente", dou o meu contributo à iniciativa Blog Action Day 2008 Poverty, esperando que este pequeno gesto inspire outros pequenos gestos e que todos estes pequenos gestos desencadeiem uma mudança. Ao mostrar interesse e preocupação por um problema estamos um passo mais próximos da sua resolução: escrever cartas, assinar petições ou marcar presença em manifestações é uma forma de expor as desigualdades globais* e de alertar os nossos representantes para as mesmas, pressionando-os a cumprir as suas promessas. Mudem o mundo - estejam informados e passem a palavra.

* 10% da população mundial desfruta de 70% das riquezas do planeta
* 800 milhões de pessoas não têm acesso a comida suficiente para se alimentar
* 1.100 milhões de pessoas sobrevivem com menos de 1 dólar por dia
* 1.200 milhões de pessoas não tem acesso à água potável
* 10 milhões de crianças não sobrevivem até aos 5 anos por causas evitáveis

----------

"Todos os Estados membros da ONU subscreveram no ano 2000 a Declaração do Milénio, prometendo apoiar uma parceria global para o desenvolvimento. Os países pobres concordaram em pôr em prática políticas e orçamentos no sentido de alcançarem os Objectivos de Desenvolvimento do Milénio. Em troca, os países ricos concordaram em apoiar os países em desenvolvimento no esforço de atingirem os ODM(...).
Portugal comprometeu-se a ajudar os países mais carenciados. Este contributo tem um carácter quase simbólico dado o valor anual ser 0,7% do Rendimento Nacional Bruto. Mas para estes países, a ajuda é imensa e representa uma inestimável fonte de novas possibilidades para fazer face a todos os desafio que as suas sociedades têm pela frente: criar condições para um desenvolvimento sustentável em áreas vitais como a saúde, a educação ou o combate à pobreza. Infelizmente, Portugal não tem cumprido a sua palavra e tem dado, do pouco que tinha que dar, cada vez menos.
Até quando? Está na hora de reparar o erro, cumprir com a palavra e acabar com esta espera."




----------

{mais info}
Até quando, Portugal?
Pobreza Zero

2 comentários:

Salamandra Pintarolas disse...

No princípio, era o verbo e o verbo criava. O homem era de palavra e a palavra cumpria-se.
Hoje não conseguimos assumir compromissos. Nem connosco mesmos.
Continuar com este discurso dá sono, verdade?
Vou-me calar.
Que cante a Deolinda:

Agora sim, damos a volta a isto!
Agora sim, há pernas para andar!
Agora sim, eu sinto o optimismo!
Vamos em frente, ninguém nos vai parar!

Agora não, que é hora do almoço...
Agora não, que é hora do jantar...
Agora não, que eu acho que não posso...
Amanhã vou trabalhar...

Agora sim, temos a força toda!
Agora sim, há fé neste querer!
Agora sim, só vejo gente boa!
Vamos em frente e havemos vencer!

Agora não, que me dói a barriga...
Agora não, dizem que vai chover...
Agora não, que joga o Benfica...
e eu tenho mais que fazer...

Agora sim, cantamos com vontade!
Agora sim, eu sinto a união!
Agora sim, já ouço a liberdade!
Vamos em frente, é esta a direcção!

Agora não, que falta um impresso...
Agora não, que o meu pai não quer...
Agora não, que há engarrafamentos...
Vão sem mim, que eu vou lá ter...

Sérgio disse...

Parabéns!

O Desafio Quentes & Boas também se associou ao Blog Action Day.

Todos estãos convidados a partilhar as suas opinões em www.quenteseboas.pt sobre a "resposta web" ao Dia Internacional para a Erradicação da Pobreza que se assinala na próxima Sexta-Feira.