segunda-feira, novembro 3

Mecanizada

No escuro, as luzes dos carros desenham as curvas da estrada em ambos os sentidos. Com tantas viagens imprevistas, não sei bem onde estou. Ele encostou para lavar o vidro. A mim não há banho que me leve as coisas más. Nem sono que dê descanso. Nem lágrimas de luto. Nem colo que me acalme. Nem espaço para guardar relíquias. Não há tempo, nem vontade, nem querer. Estou mecanizada, e esse é o plano para sobreviver a mais um Inverno. Agora não posso cair.

----------

Pela janela via-se neve no topo da Estrela.

----------


{Radiohead _ Videotape _ In Rainbows}

----------

Sem comentários: