quinta-feira, novembro 20

Velha do Restelo

Eu não queria a mesa de apoio ao meu lado, a fazer um "L", como ela tão prontamente ilustrou; nem queria ficar sem metade da vista, mas fiquei. E não guardo rancores, mas ainda não me habituei. Agora não vejo ninguém pelas laterais do iMac e sinto-me meio perdida, meio sozinha. Parece-me que o Costa se levanta muitas vezes para beber água - observo-o de perto, já que é o único que se movimenta no meu ângulo de visão. Perdi o outdoor gigante, a mesinha de café ao canto e o IC2. Agora só vejo copas de árvores que não se mexem e não sei se estou contente ou triste, desconfortável ou irrequieta. A estante velha, feia e desarrumada que era do Rui passou para perto da mesa de reuniões e isso enerva-me. (Alguém que arrume aquilo e apanhe a tralha que ficou no chão!) E as coisas ficaram como eu queria, eles frisaram "isto fica como quiseres". Eu queria como estava, era isso.

----------

{Só o Boneco Amarelo é que me compreende...}

5 comentários:

Rita disse...

Olá!
Sabes... uma noite destas vim ter aqui ao teu blog e estive a lê-lo de fio a pavio. Acho que nunca um blog me tinha despertado tanta curiosidade. Gosto do que escreves e da maneira como escreves, gosto da maneira como olhas para o Mundo. Na verdade isso é um dom, essa maneira que tens de contar tudo com beleza e humildade, sem que fiquemos presos a ti. Acho que és rara.
beijinhos.

Sara disse...

Obrigada. Beijo.

Salamandra Pintarolas disse...

É verdade! A Sara é "rara"... não no sentido que lhe dão os nuestros hermanos, mas sim no sentido português. A Sara é especial.

Sara disse...

Oh! Deixam-me envergonhada...

Rita disse...

:). Rara não como "estranha", embora as pessoas especiais sejam sempre um bocado estranhas, diferentes da "massa", distinguindo-se da maioria. Especiais, portanto. Beijinhos