domingo, novembro 8

Cozido à portuguesa ao Domingo

Com ele cá sinto-me em casa. Somos mais do que dois e fazemos um trio fenomenal. A casa ganha alma. Não tem um quarto só dele, mas o escritório transforma-se: passa a ter uma cama, o tapete desalinhado, a janela sempre aberta, uma toalha nas costas da cadeira e a mochila encostada a um canto. A gaveta do fundo da cómoda branca guarda a almofada só dele e há um frasco de picante só para seu uso na prateleira das especiarias. Ele não tem um quarto, mas tem um lugar, um espaço. Com ele cá comemos mais vegetais e bebemos mais chá. Rimos mais e vimos menos televisão. Cantam-se cantigas sem nexo. Fazemos derrapagens em subidas e corremos à chuva. O tempo passa mais devagar e há lama pela casa. Hoje almoçámos cozido à portuguesa e não o trocava por nada.



4 comentários:

Anónimo disse...

A tarde


As tardes que serão ou foram sendo
são uma só, inconcebivelmente.
São um claro cristal, só e dolente,
onde o tempo não chega ou o esquecimento.
São os espelhos dessa tarde eterna
que no céu mais secreto se entesoura.
Estão sempre nesse céu o peixe, a aurora, a balança e a espada e a cisterna.
Cada um dos arquétipos. Plotino nos seus nove volumes assim escreve;
pode bem ser que a nossa vida breve
seja um fugaz reflexo do divino.
A tarde elementar envolve a casa.
A de ontem ou a de hoje, a que não passa.
in: Os Conjurados(1985)
J. L. B.

:) Lívia

Anónimo disse...

“Desconfiai do mais trivial, na aparência singelo. E examinai,
sobretudo o que parece habitual. Suplicamos expressamente:
não aceiteis o que é de hábito como coisa natural, pois em
tempo de desordem sangrenta, de confusão organizada, de
arbitrariedade consciente, de humanidade desumanizada, nada
deve parecer natural, nada deve parecer impossível de mudar.”
Bertolt Brecht

"Para estar ao lado sem pesar com a presença"
Lv

Anónimo disse...

Sara

As receitas ou os segredos de
cozinha dão o seu pequeno
contributo para a felicidade
humana, como proclama Pablo Neruda:

Procuremos no mundo a mesa feliz.
Procuremos a mesa onde se aprenda a comer.
Onde se aprenda a comer, a beber, a cantar!
A mesa feliz.

:)Lívia

Anónimo disse...

Cada um que passa em nossa vida

Cada um que passa em nossa vida,
Passa sozinho ...
Porque cada pessoa é única pra nós,
E nenhuma substitui a outra...
Cada um que passa em nossa vida,
Passa sozinho,
Mas não vai só...
Cada um que passa em nossa vida,
Leva um pouco de nós mesmos,
E nos deixa um pouco de si mesmo...
Há os que levam muito,
Mas não há os que não levam nada...
Há os que deixam muito,
Mas não há os que não deixam nada...
Esta é a mais bela realidade da vida.
A prova tremenda da importância de cada um,
É que ninguém se aproxima do outro por acaso....

Antoine de Saint-Exupéry

:))