quinta-feira, dezembro 3

365 = 1

Os dias iguais passam a correr. Já faz um ano que adivinhei o desfecho menos feliz de muitos destes dias. Há 365 dias que todas as horas parecem ser sempre a mesma, como num qualquer filme dos anos 80. Agarro-me ao ontem e fecho os olhos ao que se passa mesmo à minha frente. Nego-me a interpretações para me manter positiva - vou contra a minha natureza e continuo a saber que isto não vai acabar bem. Os minutos e milésimos de segundo vão-se arrastando na ilusão que serão diferentes e nada mais acontece, não há desenrolar só emaranhar. A mesquinhez tolda-me a capacidade de acreditar que sou eu quem pode fazer a diferença. Deixei-me enrolar.


Alguém que me diga onde me sentar e qual o botão que tenho que carregar, que eu sou nova nestas coisas de viver por vontade própria.

4 comentários:

ShooGirl disse...

aiiii Sara... queria muito ajudar, mas o botão está mesmo dentro de ti. Tem de fazer clique sozinho. In its own time :-(
Muita força *

Lívia disse...

Por onde passaste tu
que não soubeste passar?


Pela sandália do tempo
pelo cílio do luar
pelo cílio do vento
pelo tímpano do mar?
Por onde passaste tu
que não soubeste passar?

Por onde passaste tu
que me ficaste cá dentro
tenaz do fogo divino
irmão pinho ou aloendro?
Por onde passaste tu
que me ficaste cá dentro?

Pois bem: nos campos da fome
ou nos caminhos do frio
se eu encontrasse o teu nome
lançava-te o desafio:
por onde passaste tu
pétala viva dos cerdos
rei das chagas e dos podres
- por onde passaste tu
não passaram as minhas dores!

Nasci da mãe que não tive
do pai que nunca terei
e aquilo que sobrevive
é o irmão que não sei:
uma espécie de fogueira
de corpo que me deslumbra.
Tudo o mais à minha beira
é uma réstia de sombra.
- Por onde passaste tu
com artelhos de penumbra?

Eis-me. Eis-me incendiado
por não saber perdoar.
Meu irmão passa de lado
- Eu sei como hei-de passar.

Ary dos santos



sara, segue a tua estrela...
:)) Lívia

Juca disse...

"Grande dúvida, grande iluminação.
Pequena dúvida, pequena iluminação.
Nenhuma dúvida, nenhuma iluminação."

Expressão Chan (Zen chinês)

:) Juca

Lívia disse...

"O livro Mulheres que correm com os lobos, de Clarissa Pinkola Estés, trata da essência da alma feminina, a Mulher Selvagem. Fazendo um mergulho ao terreno psíquico para resgatar a raiz instintiva mais profunda da mulher, através de 19 lendas e contos antigos, que nos funcionam como uma oportunidade de profunda análise do próprio ser feminino."

Sara, li este livro há alguns anos e penso que através da sua leitura, a autora nos ajuda a compreender um pouco melhor as nossas ambiguidades.
Bem haja
:)Lívia
ver http://lobasquecorrem.blogspot.com/